Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Exames

24.06.17

Começou na passada 2ª feira a época de exames. Como habitualmente o 1º foi de Português. O de Física e Química A foi na 4ª feira.

Este ano surgiu a notícia de que alguns alunos tiveram acesso ao que ia sair no exame - "Ó malta, falei com uma amiga minha cuja explicadora é presidente do sindicato de professores, uma comuna, e diz que ela precisa mesmo, mesmo, mesmo só de estudar Alberto Caeiro e contos e poesia do século XX. Ela sabe todos os anos o que sai e este ano inclusive. Pediu para ela treinar também uma composição sobre a importância da memória e outra sobre a importância dos vizinhos no combate à solidão”.

O Instituto de Avaliação Educativa, responsável pelos exames, enviou uma participação da eventual fuga de informação para a Procuradoria Geral da República, que começou a ser investigada pelo Departamento de Investigação e Acção Penal de Lisboa.

Esta é uma situação muito grave e esperava-se que já tivesse sido anunciado a repetição do exame. O Ministério da Educação permanece em silêncio relativamente a tudo isto.

 

Há 1 ano aqui na Espuma dos Dias.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:46

Começa hoje

12.04.17

Durante os próximos 8 dias úteis está a decorrer o concurso de professores 2017/2018. Este ano há também concurso de moblidade interna. Os resultados sairão na 2ª quinzena de Julho.

concurso de professores.png

Já andei à procura do cartão onde tenho o meu nº de utilizador e a palavra passe de acesso ao site da DGAE para poder concorrer. Por acaso encontei-o logo à primeira.

No meu grupo há 215 vagas, uma delas na escola onde dou aulas. Agora tenho que me decidir sobre as minhas preferências. Estou indeciso quanto às minhas preferências - ficar no concelho onde tenho dado aulas mais vezes ou mudar. 

 

Foto daqui.

 

Há 1 ano aqui na Espuma dos Dias.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:54

Indisciplina

08.02.17

Ontem foi divulgado um estudo sobre a indisciplina nas escolas. O estudo envolveu 47 agrupamentos escolares e 54 mil alunos, concluindose que no ano letivo 2015-2016 houve 11 127 participações disciplinares em apenas 5,4% da totalidade dos agrupamentos e escolas portugueses.

indisciplina na escola.jpg

Cada vez é mais difícil ensinar em Portugal.

No meu caso, este ano tem sido do mais complicados da minha carreira. Felizmente no final do 1º período consegui correr com 2 alunos da minha direção de turma, que só iam às aulas para causar conflitos. Eram os alunos que tinham mais participações e foram suspensos por diversas vezes. Foram transferidos para outra oferta existente na escola (curso PIEF).

No 2º período pensava que as aulas iam ficar mais calmas mas ainda há alguns alunos que têm dado alguns problemas.

Felizmente tenho uma turma do 7º ano, que é o oposto da minha direção de turma, e a quem dá gosto ensinar. Pena que só lhes dou aulas 2 vezes por semana (às quartas e sextas feiras).

 

Foto daqui.

 

Há 1 ano aqui na Espuma dos Dias.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:07

Saiu o ranking

17.12.16

Está aí o ranking das escolas de 2016. Segundo o JN, este ano a 1ª escola pública só aparece no 43º lugar - Escola Secundária Infanta D. Maria, em Coimbra. No Top das escolas privadas ficaram a Academia de Música de Santa Cecília, em Lisboa, Colégio Cedros, em Vila Nova de Gaia, e o Colégio Nossa Senhora do Rosário, no Portjornal JN 17122016.pngo.

No concelho onde estudei e onde dou aulas, também foi uma privada que ficou em 1º lugar (46º a nível nacional), seguindo-se a escola onde fui aluno (185º a nível nacional), seguindo-se outro colégio e em 4º lugar (376º a nível nacional) surge a escola em que dou aulas.

O ranking do JN foi elaborado tendo em conta os resultados da 1ª fase de exames dos alunos internos,  a nota das 8 disciplinas com o maior número de exames,  independentemente do número de alunos. 

Outros orgãos de comunicação social elaboraram os rankings de outra forma, havendo pequenas diferenças.

 Outros dados divulgados, talvez mais preocupantes, é que a maioria das escolas teve média negativa nos exames de Português do 9.º ano e apenas 20% conseguiu positiva a Matemática. No entanto mais de 80% das escolas obteve uma média positiva. No ensino secundário, o distrito de Viseu lidera as médias.

 

Há 1 ano aqui na Espuma dos Dias.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:53

A Direcção-Geral das Estatísticas da Educação e Ciência (DGEEC) divulgou o relatório Perfil do Docente relativo ao ano lectivo 2014/2015. A classe docente está envelhecida.

professor.jpg

Na minha faixa etária (40 a 49 anos), no 3º ciclo e secundário, éramos 40,7%, mais do que os que tinham mais de 50 anos - 39,5%. Com menos de 30 anos só havia 0,9% e entre os 30 e 39 anos eram 18,9%.

Outro dado interessante do relatório é que no grupo de Físico - Química, éramos apenas 8,4% no ensino público. Com a mesma percentagem, no 3º ciclo e secundário, estavam também os professores de Biologia e Geologia e Educação Física. Os grupos com mais professores eram os de Português (14,3%) e Matemática (11,7%).

 

Foto daqui.

 

Há 1 ano aqui na Espuma dos Dias.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:41

Já sairam os resultados da 1ª fase dos Exames Nacionais. Este ano as médias dos exames mais concorridos foram positivas - Português 10,8 valores, Matemática 11,2 valores, Biologia e Geologia 10,1 valores e Física e Química 11,1 valores.

Recorde-se que o ano passado as médias a Biologia e Geologia foram de 8,9 valores e a Física e Química foi de 9,9 valores. A Português e a Matemática as médias tinham sido ligeiramente superiores.

Será que os alunos este ano estavam mais bem preparados? Certamente que não, os critérios é que devem ter sido menos exigentes, talvez devido às mudanças no Ministério da Educação.

Nesta primeira fase dos exames realizaram-se 330 mil provas. Agora segue-se a 2ª fase, entre 19 e 22 de Julho.

 

Há 1 ano aqui na Espuma dos Dias.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 07:49

Manif diferente

30.05.16

Ontem alguns milhares de portugueses com filhos em colégios desceram à capital. Os filhos também vieram. Alguns terão aproveitado para depois levar as crianças ao Rock in Rio. Ontem actuava Charlie Puth, muito admirado pelos mais jovens.

Até agora muitos destes pais tinham as crianças em colégios e não pagavam porque davam como morada um local onde, antigamente, não havia perto nenhuma escola pública. Agora se os filhos mudarem de ciclo só continuarão nos colégios se pagarem.

Muitos dizem que as escolas públicas não têm condições. Um dia destes via uma reportagem num desses colégios, com muito piores condições do que na escola pública onde dou aulas. O que farão ao dinheiro que o estado lhes pagava?

Antigamente as manifestações eram bastante diferentes das actuais - havia sindicalistas, música de esquerda e muitos militantes dos partidos mais à esquerda, que não andavam vestidos com camisolas amarelas. Estou a gostar de ver, na televisão, estas novas manifestações.

Para matar saudades, Mário Nogueira já organizou uma manifestação a favor da escola pública para dia 18 de Junho no Parque Eduardo VII.

 

Há 1 ano aqui na Espuma dos Dias.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:11

As televisões ontem na abertura dos Telejornais mostraram a indignação das famílias, dos estudantes e dos profissionais dos colégios privados. O governo quer acabar com o financiamento público dos colégios privados.

O ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, esteve na Assembleia da República, onde lembrou que estes contratos de associação foram celebrados há 2 décadas, quando ainda existiam zonas do país sem escolas públicas suficientes para todos os alunos, pelo que era preciso "assegurar transitoriamente uma rede escolar pública o mais alargada possível" e, por isso, o Estado contratualizou com entidades privadas. O Ministério da Educação está a pagar 80500 euros por ano por cada turma. O que se pretende é que não haja duplicação de oferta e que só sejam financiadas novas turmas nas zonas sem oferta pública.

A direita fala numa questão de liberdade de escolha. Se querem que as crianças e jovens andem em colégios privados, que paguem. A escola pública tem de ser defendida e tem condições mais que suficientes para que todas as crianças e jovens alcancem sucesso.

  

Há 1 ano aqui na Espuma dos Dias.

  

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:13

Ontem David Justino, ex-ministro da educação do governo de Durão Barroso, agora à frente do Conselho Nacional de Educação (CNE), veio divulgar que é contra o fim dos exames no ensino básico, como quer a esquerda.

Ontem também ficámos a saber que os exames no ensino básico tiveram o impacto residual na reprovação dos alunos - só 2% dos alunos viu descer a classificação final em consequência dos exames.

A novidade que a CNE também divulgou ontem foi a da realização de um outro exame no 9º ano, de cultura científica. A ideia até parece interessante pois é lamentável que tantos alunos tenham tão poucas noções de ciências. Só não ficámos a saber o que aconteceria aos alunos que reprovassem a esse novo exame e se a nota contaria para alguma coisa. Se calhar a ideia não é um exame mas apenas uma prova de aferição da cultura científica.

 

Há 1 ano aqui na Espuma dos Dias.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:20

Inconstitucional

18.10.15

Na 6ª feira antes de se saber da libertação  de Sócrates, a notícia do dia era a o chumbo pelo Tribunal Constitucional da Prova de Avaliação de Conhecimentos e Capacidades dos Professores. Os professores com menos de 5 anos de serviço era obrigados a realizar esta prova para poderem concorrer aos concursos anuais para darem aulas.

Segundo o Tribunal Constitucional, a PACC viola o número 1 do artigo 165 da Constituição da República, que refere ser "da exclusiva competência da Assembleia da República legislar" sobre matérias relativas ao acesso à Função Pública.

Curiosamente, na semana passada tinha sido publicado em Diário da República o agendamento e custos da PACC, cuja componente comum se realizaria a 18 de Dezembro.

O Tribunal Constitucional volta bloquear, talvez pela última vez, medidas do governo.

O mais incompreensível é que só agora tenha descoberto que a PACC é inconstitucional.

Agora espera-se que os professores, que tenham sido impedidos de poder dar aulas por não terem aprovação na prova, sejam indemnizados.

 

Há 1 ano aqui na Espuma dos Dias.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:43



Astronomy Picture of the Day


Música do dia

anteriores

Tira do Armandinho