Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




No passado dia 18 de Dezembro caiu no Mar de Bering, no extremo norte do oceano Pacífico, um meteoro que ao entrar na atmosfera terrestre provocou uma explosão que libertou 10 vezes mais energia do que a bomba atómica lançada no final da II Guerra Mundial sobre Hiroxima, no Japão. 

A explosão foi detectada pelos satélites militares dos Estados Unidos e divulgada pela sua Força Aérea, que alertou a NASA, que agora divulgou a notícia.

Esta foi a 2ª maior bola de fogo registada nos últimos 30 anos e tratou-se da maior explosão registada na atmosfera terrestre desde que uma bola de fogo atravessou o céu sobre Cheliabinsk, na Rússia, em Fevereiro de 2013. Este tipo de explosão de um meteoro na atmosfera da Terra só ocorre, em média, 2 a 3 vezes a cada 100 anos.

Estima-se que todos os dias caem na Terra 48,5 toneladas de matéria meteórica mas a maior parte dela desfaz-se em poeira ao entrar na atmosfera.

Em 2005, o Congresso dos Estados Unidos incumbiu a NASA de identificar 90 por cento dos asteróides de tamanho igual ou superior a 140 metros que se aproximassem da Terra, até 2020. Contudo, a NASA estima que são necessários mais 30 anos para cumprir esta diretriz. Se for determinada com precisão a órbita dos meteoros, a NASA conseguiria prever as zonas da Terra que seriam atingidas.

 

Há 1 ano aqui na Espuma dos Dias.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:27




Astronomy Picture of the Day


Tira do Armandinho