Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



8 fábricas

28.11.18

A General Motors vai fechar 8 fábricas, 7 nos EUA e 1 no Canadá. A empresa quer reduzir 15% o número de tabalhadores, o que equivale a 14 postos de trabalho. Também pretendem fechar outras 3 fábricas fora da América do Norte. Com estes fechos esperam uma redução de custos de 6 mil milhões de dólares.

Os americanos já não querem andar em carros da General Motors, preferem os asiáticos.

Donald Trump já telefonou  à presidente-executiva da GM, Mary Barra - "Fui muito duro. Falei com ela quando ouvi que iam fechar e disse-lhe que este país fez muito pela General Motors, é melhor voltar para lá em breve, para Ohio. É melhor voltar rapidamente.Portanto, fizemos muita pressão, através de senadores e muitas outras pessoas. Muita pressão!..." Uma das medidas que pode tomar é cortar os benefícios dados à General Motors.

Dificilmente a General Motors voltará atrás e Donald Trump ficará mal visto pois na campanha eleitoral prometeu que as fábricas de automóveis não iriam fechar.

 

Há 1 ano aqui na Espuma dos Dias.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:16

Às 11h50

16.10.18

Como já é clássico a entrega do Orçamento é quase sempre entregue a poucos minutos do final do prazo.O OE de 2019 foi entregue na Assembleia da República às 23h50. Mário Centeno nem compareceu na tomada de posse dos novos ministros ao princípio da tarde. A conferência de impressa só se realiza esta manhã.

jornal DN 16102018.jfif

Os comentadores falam num Orçamento eleitoralista. As medidas mais positivas já foram divulgadas pelo Bloco de Esquerda, numa conferência de imprensa de Mariana Mortágua.

O Bloco conseguiu que o governo baixasse a factura da electricidade, com a redução do IVA na potência contratada, que as propinas no ensino superior baixassem 200€, os manuais gratuitos vão até ao 12º ano e o IVa dos espectáculos passará para 6%.

Quanto a aumentos, nos salários, há 50 milhões de euros disponíveis para aumentar os funcionários públicos, que serão negociados com os sindicatos, e nas pensões haverá uma actualização de acordo com a lei que tem em conta a inflação e o crescimento do PIB e  um aumento extraordinário até 10 euros,. Esta última medida foi anunciada pelo PCP. 

Como começa a ser um hábito, o imposto sobre as bebidas açucaradas volta a aumentar e o preço dos sacos de plástico nos supermercados também.

 

Há 1 ano aqui na Espuma dos Dias.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:15

A Apple acaba de se tornar na primeira empresa norte-americana a valer um 1 bilião de dólares (1.000.000.000.000), que nos Estados Unidos equivale a 1 trilião de dólares. Em euros a Apple vale 861 025 000 000 €.

A empresa crida  por Steve Jobs chegou a estes valores, segundo os responsáveis pela empresa, devido à intensa procura por iPhones. A Apple afirma que o seu iPhone X, lançado há um ano e com o preço de cerca de 999$ (860€), foi o modelo mais popular dos últimos trimestres.

Na bolsa, as acções da Apple chegaram aos 207,05 dólares na 4ª feira. Ontem fecharam a valer 206,41 dólares.

Espera-se que a próxima empresa a ser uma "trillion-dollar baby" seja a Amazon.

 

Há 1 ano aqui na Espuma dos Dias.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:23

Esta semana a revista Sábado traz na capa Cláudia Azevedo, a filha de Belmiro de Azevedo que agora lidera a Sonae. A escolha para liderar a Sonae parece que demorou 7 meses e não se soube de nada. A notícia surgiu na 3ª feira da semana passada.

revista Sábado 26072018.jpg

Cláudia Azevedo tem 48 anos, é licenciada em Gestão pela Universidade Católica Portuguesa, é a filha mais nova de Belmiro Azevedo e irmã de Paulo Azevedo e passou pela administração de várias empresas do grupo, entre as quais a Sonaecom, a Sonae Turismo ou o Público, era administradora não-executiva da NOS e presidia até agora à Sonae Capital, dona do Troia Resort.

Desde 2007 que Paulo Azevedo era CEO da SONAE, um cargo que em 2015 acumulou com o de chairman, depois da saída do pai que faleceu em Novembro do ano passado.

 

Há 1 ano aqui na Espuma dos Dias.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:41

Ontem os jornais desportivos italianos não falavam de outra coisa - Sergio Marchionnne, com 66 anos, deixa a liderança da Fiat Chrysler (FCA), passando o britanico Mike Manley, de 54 anos, presidente da Jeep, a ser o novo CEO.

Marchionne tinha já previsto a saída em Abril do próximo ano mas na sequência de complicações relacionadas com uma cirurgia teve de sair antes. Marchionne era um dos CEO mais antigos da indústria automóvel, tendo sido nomeado em 2004 como o 5º líder da Fiat num período de 2 anos, tendo levado a empresa a registar lucros logo no ano seguinte, depois dos prejuízos de 8 mil milhões de euros em 2003.

Manley entrou na Chrysler em 2000 quando a fabricante ainda fazia parte da Daimler.

A saída de Marchionne também vai obrigar a mudanças na Ferrari, já que o italiano também ocupava o cargo de CEO. Para a Ferrari o escolhido foi o egípcio Louis Carey Camilleri, de 63 anos, que já foi CEO da Philip Morris.

 

Há 1 ano aqui na Espuma dos Dias.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 07:54

Os trabalhadores da fábrica do grupo FCA (Fiat Chrysler Automobiles) em Melfi, no sul de Itália, vão fazer 2 dias de greve em protesto contra a contratação de Cristiano Ronaldo pela Juventus.

A Juventus é liderada por Andrea Agnelli, de 42 anos, bisneto do fundador da Fiat, Giovanni Agnelli (1866-1945).

O sindicato USB (Unione Sindacale di Base) anunciou que os trabalhadores de Melfi vão estar em greve (sciopero) entre 15 e 17 de julho, porque consideram inaceitável que a empresa continue a pedir sacrifícios aos seus trabalhadores quando gasta milhões na transferência de um futebolista.

A contratação de Cristiano Ronaldo foi anunciada na 3ª feira pela Juventus, que irá pagar 105 milhões de euros ao Real Madrid. O ordenado de Cristiano Ronaldo será de 30 milhões de euros por ano.

 

Há 1 ano aqui na Espuma dos Dias.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:45

Hoje no Parlamento, graças à abstenção dos partidos à esquerda, o CDS, com o apoio do PSD, conseguiu ver aprovado o projecto que prevê o fim do adicional ao Imposto sobre os Combustíveis (ISP).

Esta taxa adicional, de 4 cêntimos por litro de gasolina e gasóleo, foi introduzida em 2016 pelo Governo e na altura, a justificação dada era por causa da baixa do preço do barril de petróleo e foi prometido reduzir a taxa à medida que o preço do barril voltasse a aumentar. No entanto, a taxa até hoje só foi alterada uma vez.

Vai ser um grande rombo nas receitas do ministério das finanças mas no bolso dos portugueses nem se vai notar pois quando a medida for aplicada, o preço dos combustíveis pode ter acabado de subir.

O CDS vai ficar bem visto, para alguns portugueses, por ter conseguido aprovar esta medida mas o que era preciso era que o preço do petróleo baixasse significativamente.

 

Há 1 ano aqui na Espuma dos Dias.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:07

10ª subida

25.05.18

Para a semana os combustíveis voltam a subir. É já a 10ª subida consecutiva. O aumento será de 1 a 1,5 cêntimos.

Segundo a Comissão Europeia, Portugal é o 10º país, dos 28 países da União Europeia, onde é mais caro mais caro o preço dos combustíveis. Onde é muito mais barato é em Andorra. Nos países por onde já andei, onde paguei menos pelos combustíveis, para além de Andorra, foi em Marrocos e na Bósnia. Em França e Itália, os combustíveis também são muito caros, pior que em Portugal.

A oposição de direita tem criticado o governo por não ter baixado o Imposto Sobre os Produtos Petrolíferos (ISP). Em 2016 o governo  aumentou o ISP mas tinha prometido que esse aumento seria neutral e que haveria uma correção caso os preços subissem. Tal correção só foi feita uma vez. Claro que essa correção seria apenas de poucos cêntimos e seria 

marcarada numa próxima subida do preço dos combustíveis.

Mais de metade do preço dos combustíveis resulta de taxas e de impostos, sendo o ISP o que representa a maior fatia do valor pago por todos nós.

 

Há 1 ano aqui na Espuma dos Dias.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 07:55

Mário Centeno apresentou ontem o Programa de Estabilidade para 2018 - 2022. 

A novidade é a a redução da meta do défice orçamental em 0,7% do Produto Interno Bruto (PIB) - cerca de 800 milhões de euros.  O Governo tenciona para o ano comprometer-se com Bruxelas com um défice de 0,2% do PIB, estimando um excedente orçamental de 1,4% em 2021 e de 1,3% de 2022.

Um alívio no IRS só para 2021, no valor de 200 milhões de euros, e não estão previstos aumentos na função pública.

A taxa de desemprego deverá continuar a diminuir de forma gradual, atingindo o valor de 6,3% em 2022.

Quanto à dívida pública espera-se que desça para 122,2% em 2018, 118,4% em 2019, 114,9% em 2020, 107,3% em 2021 e 102% em 2022, graças a uma "forte recuperação" do investimento público, com apoio dos fundos europeus.

Para Centeno "Há sempre alternativas a este caminho, mas essas correspondem a escolhas de regresso ao passado. "O risco de um retrocesso existe e é maior do que parece, principalmente quando as coisas correm bem. Não temos memória curta e sabemos o que custou aos portugueses sair desse pesadelo. Eu não seguirei esse caminho".

O Governo vai entregar agora o documento na Assembleia da República, onde será discutido no dia 24 de Abril. O Bloco de Esquerda e o PCP já vieram exigir um recuo na revisão em baixa do défice para 2018 e a manutenção da meta acordada no orçamento. O Bloco e o CDS já anunciaram que vão apresentar um projeto de resolução para que o documento seja rejeitado.

Será que vai haver uma crise governamental? Vai o PSD apoiar o governo?

 

Há 1 ano aqui na Espuma dos Dias.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:26

O Novo Banco, liderado por António Ramalho desde 2016, apresentou os resultados do ano passado. O banco teve o maior prejuízo desde que foi criado, em 2014, perdendo 1395,4 milhões de euros, mais 600 milhões que em 2016.

Todos os outros bancos apresentaram lucros.

Novo Banco.jpeg

Uma parte significativa das perdas está relacionada com créditos concedidos no estrangeiro com “pouca possibilidade de recuperação”, feitos em países árabes e no Brasil, por exemplo, e desvalorizações em participações financeiras.

No entanto o Novo Banco conseguiu baixar os custos operacionais em 549,2 milhões de euros, graças ao corte do nº de funcionários e à redução de balcões. No ano passado sairam do Novo Banco 600 trabalhadores, fixando-se agora em 5488. O objetivo é que no final do ano o Novo Banco tenha 5000 trabalhadores. Quanto à rede de balcões diminuiu para 473, menos 64 balcões do que em 2016.

O Estado, para cumprir com um dos termos do acordo de venda do Novo Banco à Lone Star, vai ser obrigado a avançar com um novo financiamento de até 450 milhões de euros. Na verdade quem deveria entrar com o dinheirro era o fundo de Resolução e em troca, esta entidade, financiada pelo setor bancário, ficava com 25% do Novo Banco. O Fundo de Resolução como não tem o dinheiro suficiente para colocar no banco, vai obter um financiamento do Estado.

Provavelmente não vai ficar por aqui...

 

Foto daqui.

 

Há 1 ano aqui na Espuma dos Dias.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:48



Astronomy Picture of the Day


Música do dia

anteriores

Tira do Armandinho